O que é A INSUFICIÊNCIA MITRAL?

A insuficiência mitral é a segunda doença valvular mais comum, em todo o mundo, e antecipa-se que a sua prevalência aumente nos próximos anos, com o envelhecimento da população. É mais comum em homens e aumenta com a idade. Carateriza-se por um refluxo de sangue pela válvula mitral. Cada vez que o ventrículo esquerdo se contrai, ou seja, à medida que o ventrículo esquerdo bombeia o sangue para a aorta, um pouco de sangue retorna para trás em direção à aurícula esquerda, aumentando o volume de sangue e pressão nesse local. Este aumento da pressão arterial na aurícula esquerda aumenta a pressão do sangue nas veias dos pulmões. Será bombeado menos sangue para a circulação e os pulmões ficam como que encharcados em sangue e isto gera a falta de ar e o cansaço.

 QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DA INSUFICIÊNCIA MITRAL?

A fraqueza hereditária do tecido da válvula mitral, o “ataque cardíaco” ou as doenças do músculo cardíaco são as causas mais comuns da insuficiência mitral.

  QUAIS SÃO oS PRINCIPAIS SINTOMAS DA INSUFICIÊNCIA MITRAL?

Os principais sintomas são a falta de ar e o cansaço.

 COMO SE DIAGNOSTICA A INSUFICIÊNCIA MITRAL?

O diagnóstico é feito com base nas caraterísticas do sopro cardíaco ouvido, pelo médico, através da auscultação com o estetoscópio. O eletrocardiograma e a radiografia torácica podem confirmar o aumento do ventrículo esquerdo. A ecocardiografia é essencial e para avaliar o tamanho do ventrículo e da aurícula esquerda e a quantidade de sangue que está a refluir, de modo a avaliar a gravidade da doença.

  QUAL O TRATAMENTO PARA A INSUFICIÊNCIA MITRAL?

Nos casos mais graves, a cirurgia da válvula mitral pode ser o tratamento mais indicado, para reparar ou substituir a válvula cardíaca danificada. No entanto, metade dos doentes encaminhados para cirurgia não são operados, por razões relacionadas com outras doenças concomitantes, pela disfunção do ventrículo esquerdo ou pela idade avançada. Nos últimos anos foram desenvolvidas inovações importantes no campo do tratamento e já existem em Portugal vários dispositivos percutâneos, minimamente invasivos, disponíveis ou sob investigação.

NÚMEROS IMPORTANTES

De acordo com um estudo realizado pela empresa Spirituc (www.spirituc.com), por questionário telefónico, a uma amostra de 300 pessoas com mais de 70 anos, residentes em Portugal Continental, em outubro de 2017:

  • 85% das pessoas com mais de 70 anos sabe que o coração tem válvulas.
  • Apenas 19,7% já ouviu falar de insuficiência mitral.
  • Apenas 26% dos inquiridos revela estar preocupado com uma doença cardiovascular como hipertensão arterial (7%), trombose (6,3%), enfarte do miocárdio (5%), cardiomiopatia (2,7%), doenças das válvulas do coração (2%), insuficiência cardíaca congestiva (1,3%) e outras doenças (1,7%).
  • Para os portugueses com mais de 70 anos ter qualidade de vida é ter saúde (57,3%), boa mobilidade/autonomia (22,7%) ou  ter condição financeira estável (10,8%).
  • No seu dia-a-dia, os inquiridos admitem que passam o seu tempo com tarefas domésticas (59%) ou a caminhar e/ou passear (46,3%). Cerca de 21% confessa que gostava de viajar mais.